Minha historia com a bike e o cicloturismo

O começo da minha história é parecido com a de muitas pessoas. Toda criança deseja ganhar uma bicicleta, é meio que o sonho de consumo. Ela não representa somente um brinquedo, mas sim, toda a liberdade de um meio de transporte ágil e individual, e o mais legal, é que pode nos levar para todos os lugares, e tudo fica mais perto e acessível com a mesma.

O começo da minha história é parecido com a de muitas pessoas. Toda criança deseja ganhar uma bicicleta, é meio que o sonho de consumo. Ela não representa somente um brinquedo, mas sim, toda a liberdade de um meio de transporte ágil e individual, e o mais legal, é que pode nos levar para todos os lugares, e tudo fica mais perto e acessível com a mesma.

Lembro que na minha infância, eu não via a hora de chegar em casa e encontrar um pacote de presente gigante e dentro dele estar a minha tão sonhada bicicleta. A espera foi grande, até que uma bela noite, em uma festinha de aniversário surpresa, fui surpreendido com uma belíssima BMX…o suprassumo do momento. Nooooossa, foi uma explosão de alegria, saber que chegaria da escola e poderia pedalar livremente.

 Foram inúmeras quedas, tentando as primeiras empinadas, fora as derrapadas em calçadas lisas, os arranhões, os hematomas e as puxadas de orelha por conta das artes. Na época, tínhamos o clube BMX do bairro, algo super irado, hoje seriamos à Old Scholl do BMX…Hahaha…Mas na época a gente se sentia como os meninos do Stranger Things, aquela série muito bacana do Netflix.

Já na adolescência a bicicleta foi minha maior companheira. Lembro de grandes aventuras com ela, íamos da minha cidade até a cidade vizinha, coisa de 70km ida e volta, só para curtir as cachoeiras e jogar vôlei no seminário com os amigos, fora as idas e vindas da escola… Haaaa quanta saudade daquele tempo, parece que foi ontem que vivi tudo isso.

Aí chega a hora de crescer, foi onde deixei a bicicleta de lado e o sonho de consumo passou a ser um automóvel. Com o conforto do carro, veio o sedentarismo, quebrado somente pelo vôlei dos fins de semana. E como consequência veio uns quilinhos a mais e o stress do transito como presente. Sempre fui magro, mas cheguei aos preocupantes 112kg! Foi onde procurei uma academia, na qual malhava 4x por semana, mas aquilo estava chato demais, então decidi que precisava fazer algo prazeroso.

Foi onde comprei a minha primeira bicicleta MTB, a bike, assim já denominada no cenário. Meu primeiro pedal foi incansável e interminável 10k, quase morri, tive câimbras até no céu da boca, mas foi algo incrível, como se eu tivesse voltando aos tempos de infância. Comecei a interagir com o meio em que vivia. Cumprimentar as pessoas que estavam na rua, ouvir pássaros, conhecer lugares perto da minha casa e outros não tão pertos.

Em 2011 resolvi participar do primeiro pedal em grupo, na época e ainda tímido, chamado de pedal da Mari, que hoje é um espetáculo e reúne uma multidão de ciclistas. De lá para cá, acumulei milhares de quilômetros pedalados, realizei 2 dos grandes circuitos de cicloturismo do Brasil, o Vale Europeu e o Circuito das Araucárias, além de pedalar por Urubici e por parte do Circuito Costa Verde & Mar.

Posso afirmar uma coisa, eu e a bike já fizemos grandes aventuras juntos, e essa ciclo-aventura está longe de terminar.

Aos que não são ciclistas, voltem a pedalar, digo voltem, porque quase todo mundo já pedalou um dia. Aos ciclistas de plantão, façam uma viagem de bicicleta, seja para conhecer um circuito de cicloturismo, ou apenas para turistar de bike por aí.

Lembre-se: É necessário sempre acreditar que o sonho é seu, que o céu é o limite e você é imbatível.

Deixo aqui, um grande abraço e ótimas pedaladas a todos!

Juliano Camacho

Lembro que na minha infância, eu não via a hora de chegar em casa e encontrar um pacote de presente gigante e dentro dele estar a minha tão sonhada bicicleta. A espera foi grande, até que uma bela noite, em uma festinha de aniversário surpresa, fui surpreendido com uma belíssima BMX…o suprassumo do momento. Nooooossa, foi uma explosão de alegria, saber que chegaria da escola e poderia pedalar livremente.